A confusão que se faz entre pessoas com deficiência e doentes é ainda tão forte que levou os vasos hospitalares para os espaços públicos!

Estive no Rio de Janeiro em abril 2017 por 2 semanas e foram dias maravilhosos! Fiz alguns vídeos mostrando todos os meus passeios nos pontos turísticos e parabenizo a prefeitura e o governo do RJ pela acessibilidade que encontrei em vários lugares(ASSISTA DEPOIS AQUI AOS VÍDEOS NO RJ). Porém, é muito necessário ressaltar os pontos negativos…..ou que pelo menos a mim incomodou muiiito!!!

Resultado de imagem para boca no trombone1 – Andei pelo centro do Rio e definitivamente as calçadas com essas pedras portuguesas são péssimas para cadeirantes, muitas pedras soltas, buracos….fiquei muito irritada e cansada! Essas mesmas pedras estão no calçadão de Copacabana, infelizmente sei que vai ficar apenas como um desabafo porquê isso não será mudado nunca!

2 – Isso eu acredito e tenho fé que será mudado…..os banheiros adaptados…a maioria dos vasos sanitários em banheiros adaptados têm uma abertura frontal, o que em tese facilita o acesso às partes íntimas. O problema é que esta abertura é ideal para hospitais e clínicas, ou seja, para pacientes acompanhados de um enfermeiro/cuidador. Para cadeirantes que estão sozinhos, esta abertura frontal se torna perigosa, pois pode provocar quedas. Além do mais, ela é pouco higiênica, uma vez que o cadeirante involuntariamente, pode fazer xixi para fora!

Muitas vezes eu acabo utilizando o outro banheiro que não é adaptado só por não ter a abertura frontal, mas isso só é possível poque eu tenho a facilidade de saltar da cadeira para o vaso mesmo quando a porta é estreita…e quem não tem? E como falo no título deste post, infelizmente a confusão das pessoas ao colocar no mesmo “saco” a pessoa com deficiência causam esse tipo de erro.

Uma medida paliativa pode ser substituir o assento sanitário imediatamente, para evitar acidentes. Isso, até que o proprietário do estabelecimento possa substituir o vaso sanitário pelo mais adequado

Substituição

Se o estabelecimento já instalou esse tipo de vaso, um paliativo é colocar um assento sanitário sem abertura, provisoriamente, até que se possa substituir a louça.

Em 2013, atendendo recomendações do Ministério Público Federal, fabricantes tiveram de alterar publicidade a respeito dessa bacia sanitária, e órgãos públicos se comprometeram a substituir o modelo, que é recomendado apenas para hospitais ou residências, quando a pessoa não consegue fazer sua higiene sozinha e necessita de auxílio para isso.

É preciso ter em mente que se trata de medida de segurança, e não só de mero conforto.

A impressão que dá é que, apesar das inúmeras reclamações, nunca mais vão retirar este vaso, apesar de já ser proibido na norma da ABNT que proibe o uso do tal vaso nas construções(veja no link abaixo).

A NBR 9050, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, foi atualizada em 2015 e trata do assunto:

7.7 Bacia sanitária – pag.89

As bacias e assentos em sanitários acessíveis não podem ter abertura frontal.

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU-BR) esclarece:

A bacia sanitária convencional com abertura frontal, modelo P.51, da linha Conforto, não é apropriada para instalação em sanitários de uso público e de uso coletivo destinados a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida para fins de atendimento das exigências quanto à acessibilidade, sendo esse modelo indicado apenas para casos excepcionais de pessoas que necessitem do auxílio de acompanhante para sua higienização, como em residências e estabelecimentos de saúde.

 

Prefeitura de Dourados

Leia esta matéria da prefeitura de Dourados(MS)

Paulo Cesar dos Santos Figueiredo – Em Dourados (MS) fui pessoalmente em 29 (vinte e nove) lojas de materiais de construção e solicitei aos vendedores que me mostrassem a bacia sanitária adequada para a instalação em sanitários para pessoas com deficiência e TODOS (exatamente TODOS) os vendedores me apresentaram a bacia sanitária COM ABERTURA FRONTAL!!!!! Fui até o representante da DECA na cidade e a informação foi a mesma!!!! Como trabalho na Vigilância Sanitária notifiquei todos os comerciantes para que não comercializassem a bacia sanitária com abertura frontal como a mais apropriada para pessoas com deficiência. A prefeitura de Dourados (MS) fez uma matéria sobre o assunto e publicou em seu site:

Vigilância orienta sobre venda de sanitários para deficientes

 

Eu já fiz um vídeo comentando sobre este vaso com a participação do meu amigo Carlão Oliveira e resolvi trazer de volta este vídeo, pois como estive recentemente no Rio e ví que nada mudou, o negócio então é continuar reclamando para ver se algo acontece! Se os amigos compartilharem, vai ajudar muito!!

  • DEIXE SEU COMENTÁRIO AO FINAL DESTE POST
  • CLIQUE PARA CONHECER MEU CANAL NO YOUTUBE E SE INSCREVA POR LÁ!
  • INSCREVA-SE AQUI TAMBÉM NESTE SITE E RECEBA EM SEU EMAIL UMA NOTIFICAÇÃO SEMPRE QUE HOUVER UM NOVO POST.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *